Mostrando postagens com marcador blogagem coletiva. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador blogagem coletiva. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Projeto Escrita Criativa - Agosto: Ventos que vem e vão

Oi, tudo bem?

Aproveitando o embalo de ontem para regularizar minhas publicações com o grupo, já vou colocar  publicação do texto de agosto.

O tema mais votado foi Ventos que vem e vão... tema vago, não?! Diria até meio filosófico.

Pensando na pobre e insignificante existência humana, podemos considerar que somos apenas "poeira no vento"; hoje estamos, não sabemos como estaremos no segundo a seguir. Isso pode nos causar desânimo, baixa auto estima, falta de perspectiva porque sentimos como se não fôssemos grande coisa; afinal, o que sou eu na imensidão do universo?

Só que da mesma forma que não somos nada, podemos também ser tudo. Só depende de cada um de nós. Quando der aquela vontade de fazer alguma coisa, de começar um novo projeto - ou de REcomeçar um projeto; aquele pique que aparece de repente, aquele up na vida que acontece do nada... essa é A HORA. 

Hora de fazer acontecer, hora de fazer a diferença, hora de ser mais para você, para alguém, para Deus, para o universo.

Considerando o tema do mês - Ventos que vem e vão - podemos tomar várias histórias de grandes pessoas que no momento A estavam por baixo e, no momento B, simplesmente arrasaram tudo.

Essa é a beleza da vida; a nossa fragilidade, a nossa frivolidade pode ser mudada em apenas um segundo, em apenas um instante - para o melhor e para o pior.

Os "ventos que vem e vão" na nossa vida podem nos trazer coisas boas... ou coisas ruins. A saúde está ótima? Daqui a pouco, vai estar ruim. O casamento está uma drogra? Daqui a pouco, vai estar bom de novo. Tudo - absolutamente tudo - na nossa vida tem altos e baixos, bons e ruins, ventos que vem e vão.

Por isso, viva intensamente; curta cada momento; faça a diferença para você, para o seu próximo (não interessa qual o próximo), para Deus, para o universo. Não seja mais apenas um grão de areia na praia, mas seja O GRÃO de areia na praia.

Desculpe pelo texto auto-ajuda, mas foi o que o tema me inspirou.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Projeto Escrita Criativa (Julho) - Minha primeira memória de infância

Oi, tudo bem?

Mais um texto do Projeto Escrita Criativa... mais um texto atrasado.... perdããããããão.

O tema de julho foi "Minha primeira memória de infância", talvez por ser mês de férias e férias lembrarem infância; afinal, férias para gente grande é outra coisa beeeem diferente.


Minha primeira memória de infância.... hum, acho que o Tico e Teco se confundem ao me levar de volta à década de 80.

Nasci em 1983; minhas primeiras memórias me confudem com as histórias que mammy me conta sobre a minha infância.

Tenho memórias ótimas dos cheiros: a gema de ovo quente com sal que eu exigia tomar de manhã quando era criança (acreditem: eu AMAVA isso. Hoje em dia, mal posso sentir o cheiro do ovo, mas ainda me dá água na boca de lembrar o gosto gostoso que isso tinha de manhã, mesmo sem ter mais coragem de experimentar); a vitamina de banana que mammy fazia todo dia quando eu chegava da escola; o cheiro do feijão cozinhando no fogo; o cheiro de lavanda na roupa de cama limpa (cheiro que eu levei para minhas roupas de cama de casada).

Tenho grandes memórias de momentos também: brincar de escolinha ou escritório com mammy (também brincávamos de casinha, mas mammy sentou no banquinho da penteadeira da Barbie uma vez e a brincadeira não teve graça: o banquinho quebrou mesmo e não tinha onde comprar outro); correr atrás das galinhas e patos que criávamos no quintal de terra no fundo de casa; subir no pé de limão e achar que eu era a Xuxa no filme Super Xuxa contra o baixo astral; aprender a andar de bicicleta; aprender a tocar violão, tocar piano; aprender a ler e escrever.

Mas até na infância, temos memórias ruins: me lembro muito nitidamente de dois pesadelos que tive que até hoje eu não consigo esquecer; um deles, costumava se repetir com frequência de tempos em tempos - ainda bem que não os tenho mais na fase adulta.

Será que daria para escolher uma história de criança para contar aqui? Hum, sei lá...foram tantos momentos legais que eu acho difícil separar um em especial.

Mas vou escolher as noites que dormíamos na sala para ver o desfile de escola de samba: colchão no meio da sala, pappy e mammy dormindo comigo; ficávamos acordados até altas horas para ver a Mangueira - escola de pappy - e a Beija Flor - escola de mammy. Eu torcia para Mocidade, Viradouro, Tradição, torci para Unidos do Cabuçu quando o tema foi Os Trapalhões... tempo bom!!!

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Postagem Coletiva Junho - Projeto Escrita Criativa

Oi, tudo bem?

Finalmente, cheguei no tema do mês corrente... "Quando o quente e o frio se encontram"... Hum, sinceramente não sei o que escrever.

Mas, se começar a pensar bem e a jogar algumas ideias para Dr. Google me ajudar, acho que consigo começar a formular alguma coisa.

Existe um texto na bíblia que fala sobre a frieza humana e sobre sermos mornos:

“Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.”
(Apocalipse 3.15,16)

Esses versículos se encontram no livro de Apocalipse e foram endereçadas à igreja de Laodiceia. Sete igrejas receberam cartas com elogios, repreensões e ações práticas as quais elas deveriam seguir. A cidade de Laodiceia enfrentava grandes problemas com o fornecimento de água, que por sua vez para suprir a população construíram tubos conectados a uma fonte distante. Mas, no momento em que a água chegava, ela estava morna e desagradável. Diferentemente, a cidade vizinha de Hierápolis tinha fontes medicinais quentes; e outra cidade vizinha, Colossos, era saciada por meio da água fresca da montanha. Por isso a comparação do comportamento humano à temperatura da água.

Considerando o frio que está lá fora - aqui bateu 2° ontem e na capital chegou à 0° - e que presumo que todos tenhamos casa, comida, cama e roupas para nos aquecer, que tal refletirmos sobre a nosso "mornidão" (será que existe essa palavra?!) em relação ao nosso próximo?

Que tal a gente carregar um agasalho que não usa mais (mas que esteja em bom estado, pelo amor de Deus) no banco de trás do carro ou no baúzinho da moto para doar para alguém que está na rua sem roupa de frio?

Que tal a gente ter um biscoito para cachorro ou gato na bolsa para poder alimentar um pequeno na rua?

Que tal a gente pagar um lanche ou salgado praquele tiozinho que fica pedindo esmola, sentado no chão frio da calçada?

Muitas vezes, infelizmente, parecemos com os irmãos daquela cidade dos tempos bíblicos: somos muito indiferentes. Estamos nos transformando em pessoas frouxas quando o assunto é o amor ao próximo, levar o Evangelho de Cristo de forma prática e não completamente sem gosto, preguiçosos e ociosos. Não foi isso que Jesus ensinou. 

Pare de ficar se intrometendo na vida das pessoas, de ficar esquentando a conversa com comentários maldosos e vá fazer a diferença no mundo! Jogue a preguiça fora, e vá contribuir com o serviço de Cristo.

Como cristãos e seres humanos, temos que prestar atenção ao lado e não podemos ser indiferentes as necessidades de todos aqueles que estão precisando de algo, tanto fisicamente quanto espiritualmente.

Vamos ser quentes; vamos fazer o nosso quente se encontrar com o frio do mundo aí fora e fazer a diferença:

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.2)


domingo, 5 de junho de 2016

Postagem Coletiva Maio – Projeto Escrita Criativa

 Oi, tudo bem?

Tentando colocar as postagens coletivas em dia, lá vamos nós para o tema de maio (#atrasado) do Projeto Escrita Criativa: Um dia em silêncio.

Adorei o tema. Adorei mesmo. Porque amo ficar em silêncio. Amo a solidão. Meus melhores textos e minhas melhores ideias surgem quando estou sozinha, quando fico em silêncio e consigo refletir sobre tudo que está se passando na minha mente.

Ontem mesmo, na aula da escola bíblica que foi sobre o livro de Cantares (ou Cântico dos Cânticos, o livro mais romântico da Bíblia...leiam e confiram), o professor disse que quem ama aprecia a companhia do outro e não gosta de ficar sozinho. Discordo, discordo plenamente.

Eu amo a companhia do garoto; gosto de estar com ele e compartilhar com ele muitas coisas. Mas tem coisas que são só minhas; tem momentos que são só meus. E meu silêncio é muito valioso para ser compartilhado. Não acho que isso é egoísmo, muito menos acho que isso significa que não compartilho minha vida com ele. Só acho que é importante manter a minha identidade, o meu eu, mesmo dentro de um relacionamento.

Adoro momentos quando chego em casa sozinha, preparo minha xícara de chá e me deito na cama ou sento no sofá para ler um bom livro, ver um episódio de uma série querida, ou simplesmente ficar lá, saboreando o líquido quentinho... em silêncio!

Lógico que o mundo em volta está em silêncio, mas a minha mente está a milhão: ideias, pensamentos, textos construídos quase que por completo só no pensamento. Queria saber como os budistas conseguem atingir o tal do nirvana e esvaziar a mente completamente porque eu não consigo fazer isso mesmo! Eu estou mais para aquela cena do Comer, Rezar e Amar que ela tenta meditar e não consegue esvaziar a mente de jeito nenhum kkk

Mas só o fato do resto do mundo ao meu redor estar em silêncio já me ajuda muito. Costumava ser daquelas que se concentravam no meio de um desfile de banda marcial; acho que a idade deixou meus neurônios preguiçosos porque, ultimamente, preciso mesmo de tempo e silêncio e muita concentração para escrever ou ler. Tem uma pesquisa que fala sobre isso, sabia?! Dizem que nossa geração é a mais bem informada por causa de todo o excesso de tecnologia e acesso à informação que temos. Mas que isso nos fez também a geração que menos produziu conteúdo científico relevante para a humanidade; isso porque estamos sempre eufóricos, absorvendo um pouco de tudo e nunca muito de um pouco só e, assim, nosso conhecimento fica raso, sem profundidade.

Por isso, um dia de silêncio é tão importante e valioso.



quarta-feira, 1 de junho de 2016

Postagem Coletiva – Projeto Escrita Criativa Abril


Nossa, faz muito tempo que deixei de acompanhar as atividades do grupo... #vergonha. Mas, vou tentar me redimir e colocar em dias os últimos três meses dos temas mensais.

No mês de abril (#superatrasado), o tema foi “As mentiras que nos contam”... esse assunto dá pano para manga.

Para falar a verdade, eu não sei por onde começar. É tanta mentira que a gente escuta na política, na economia, do vizinho, do “amigo”, do parente... o ser humano tem uma tendenciazinha a contar uma lorota básica, certo?!

Podia seguir a linha de pensar qual a maior mentira que já me contaram na vida... hum, não poderia não porque daí eu ia pender a contar uma história muito pessoal da minha vida que prefiro não compartilhar aqui.

Mas, aproveitando esse gancho, posso garantir que uma mentirinha – por menor que ela seja – pode causar um efeito borboleta avassalador na vida de alguém. Falo isso por experiência própria. E depois do ocorrido, por menor que ele seja, fica muito difícil recuperar a confiança. A coisa anda, melhora e até sara: mas tudo precisa de muito, muito tempo. Nada funciona instantaneamente como é vendido na tv em alguns programas.

Seria bem mais fácil se o mundo fosse sincero, né?! Se as pessoas não ficassem de mimi por causa de qualquer coisa e acabasse, com isso, encobrindo os sentimentos e inventando mentiras. Só que a gente vive em uma sociedade hipócrita, fato. E contar uma mentirinha aqui, outra ali, por conveniência, comodidade ou simples costume, acaba sendo até aceitável.


Por isso, muitas vezes, acabo pagando um preço meio alto porque não sei ser “socialmente aceitável”, não se andar no ritmo que esse mundão anda por aí. E a sinceridade dói, machuca e é difícil de ser digerida, às vezes. Mas prefiro ficar de bem com Deus e minha consciência do que sair por aí falando o que os outros querem ouvir.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Tema de março: Ser mulher é

Oi, tudo bem?


Ser mulher é.... ser controversa, ser um milhão de coisas ao mesmo tempo. E também ser sonhadora, simples, ser única.

Ser mulher é... ser sensível, ter os sentimentos à flor da pele. E também ser durona, segurar o choro e levantar o queixo para enfrentar o que for.

Ser mulher é... andar de salto alto, caprichar na maquiagem, gastar horrores no salão. E também ficar com a camisa da última eleição e chinelo havaiana em um domingo a tarde só para curtir o Faustão. De calcinha bege.

Ser mulher é... ser filha, amiga, mãe, namorada, esposa, empresária, professora, gerente, freira, pastora, cozinheira, motorista, pedreira, garota de programa... xiiii, a lista vai longe.

Para mim, a melhor definição para ser mulher é: não ter limites. Foi-se o tempo que não podíamos usar calça, não podíamos estudar, não podíamos votar. Agora, a gente usa microshorts, faz PHd na área que quiser, vota (e se arrepende quase sempre) e trabalha em dupla, tripla jornada se precisar para garantir nossa grana e indepedência. E tudo isso sem perder a graça e a delicadeza que nos é tão peculiar.

Ser mulher é saber que... o céu NÃO É O LIMITE!

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Projeto Escrita Criativa - Tema de fevereiro: Na loja de fantasias

Oi tudo bem?



Adoro Carnaval! Pode parecer estranho uma cristão dizer que gosta de Carnaval, é até controverso. 

Mas, diferente das entediantes festas de final de ano que nos obrigam a passar um tempo com parentes que não gostamos, enfrentar filas infernais em lojas abarrotadas de pessoas mau-humoradas, o Carnaval nos permite estravazar, esquecer da vida.

E ando precisando tanto disso.

No Carnaval, temos liberdade para ser o que quisermos: quer passar o feriadão com a família? Pode. Quer passar sozinho? Pode. Quer ir pro fervo e correr atrás do trio elétrico? Pode. Quer ir pras montanhas e se isolar do mundo? Pode também. Pode, pode, pode: pode tudo!

Na grande loja de fantasias do Carnaval, pode escolher a que nos fizer melhor, a que nos agradar mais e seguir em frente. Cinco dias para esquecer da vida e curtir o que melhor essa vida tem a nos oferecer. Sem cobranças, sem dores de cabeça, sem prazos, sem trânsito.

Só que... são só cinco dias.

Depois disso, muitos ainda tentam continuar com a fantasia, manter a máscara da folia mas daí a coisa fica mais difícil, mais complicada. As obrigações e a rotina voltam e o país engrena, como dizem alguns.

Então, só daqui um ano voltamos para nossa fantasia. Será?


Esse post faz parte do Projeto Escrita Criativa

sábado, 30 de janeiro de 2016

[Janeiro | 2016] Postagem coletiva: Uma carta para o meu último dia de 2016 - Projeto Escrita Criativa

Olá 31 de dezembro de 2016,

Meu Deus, o ano passou voando como 2015? Acho que sim, porque ultimamente todo ano tem passado voando.

Seus dias podem ficar mais um pouco, passar mais devagar que ninguém vai reclamar. Assim, a gente não fica com a sensação de que viveu pouco, de que viveu atropelado.

Escrevo esta singela cartinha em 31 de janeiro de 2016. Expectativas à mil para o ano que se inicia depois do Carnaval para a maioria dos brasileiros – políticos, inclusive hehehe – mas que está com a corda toda já pelas bandas daqui. Como estamos no final do ano?

Como será que foi o casamento? Deu tudo certo, de acordo com o que esperávamos? E a convivência? Meu Deus, será que ainda estarei casada no final do ano?

Mammy sobreviveu ao casório? Ela está bem? E pappy? Desculpe pelo caminhão de perguntas, mas me encontro em um estado de ansiedade histórico. 

Você, querido 2016, promete fortes emoções e muitas novidades e espero realmente que você esteja terminando bem e feliz, assim como todos nós.


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Olhando pra trás - retrô 2015

Oi, tudo bem?




Lógico que ela não podia faltar, né?! Mesmo em um ano tão tumultado, como poucos posts publicados mas cheios de informações, ela tinha que estar presente aqui para fechar o ano com chave de ouro. Senhoras e senhores, vem aí a retrospectiva 2015!

Começamos o ano com a tragédia do Charlie Hebdo e toda a polêmica sobre liberdade de expressão e respeito a religião do próximo. Aliás, esse ano foi um dos assuntos mais em pauta do momento. Para quem é cristão e acredita na Bíblia, sabemos que o final dos dias será difícil e de muita perseguição, não só física como já acontece na Coréia do Norte e países islâmicos e hindus, mas ideológica também como já vemos na Europa e na América. Nossos valores e conceitos são colocados em cheque todo o tempo - eu mesma passei por situações assim esse ano - e por isso devemos buscar cada dia mais a Deus para sabermos colocar nossa posição, sem abrir mão de nossos valores e sem perder o respeito ao próximo. Tarefa díficil, mas a gente consegue com a ajuda de Deus.

Muito livros... acho que nem dá para listar todas as resenhas aqui, mas fique à vontade para fuçar no meu cantinho aí do lado no Olhando pra trás. Nas contas finais, 20 exemplares lidos! Acho que posso destacar um, o melhor do ano inteiro: Amor de Redenção. Muitos filmes também, graças a Deus: menos do que eu queria, é claro, assim como os livros.

Perdi meu juízo...quer dizer, menos dois dentes do ciso e ainda ganhei um celular de presente do garoto pela recuperação.

Mas é claro que o tema que imperou aqui foi a #OperacaoCasamento e o #ProjetoCasa.

Durante a construção, perdi a conta de quantos posts eu fiz sobre a canseira e o mau humor e a irritação de todo o processo.

Também tivemos a escolha do vestido, das músicas, o início da contagem regressiva, eventos de noivas com mammy, a escolha da viagem da lua de mel, a saga do convite dos padrinhos, a preparação de toda a papelaria do casamento; a compra dos primeiros móveis.. Ainda estamos na entrega dos últimos convites e teremos algumas atualizações em janeiro... E que venha 20 de fevereiro!

Minha saúde esteve bastante balançada esse ano e o que mais me irritou foi aguentar conversas do tipo: "Você está passando por algum período de estresse?"; "Ah, no trabalho por causa da crise do país. Estou de casamento marcado..."; "Aaaaah, então é isso. Casamento marcado é sempre assim". Credo, parece que casamento é doença!!! O pior de todos foi o péssimo atendimento - aliás, nem teve atendimento - na Unimed em abril. Absurdo total!

Levei mammy para o cine 3D com o filme Terremoto e quase matei a coitada de tontura kkk. Também fui no cinema com ela para ver o melhor filme de 2015, Divertidamente.

Participei de novo da  #semanadeoracaodafabi.

Fiz a maratona do livro #umanovamulherem30 dias com início aqui e final aqui.

Não fui nenhuma vez no ano para minha terrinha querida, Sampa, mas encarei algumas aventuras com o garoto como as cachoeiras.

Acabamos ganhando um novo membro na família do garoto...

Muitas blogagens coletivas - dois Liebster Awards aqui e aqui - e desde já quero agradeço demais à todos os amigos que me taguearam para participar dessas brincadeiras gostosas! Dentre essas postagens, está o Projeto Escrita Criativa que consegui participar durante o ano!!!

Talvez essa seja uma das retrospectivas mais curtas que já fiz. Principalmente porque tive um ano muito tumultuado, com muita coisa acontecendo no trabalho, em casa e na vida pessoal e isso me tirou tempo e ânimo para blogar.

Quem sabe em 2016 eu consigo organizar melhor minha nova vida e dou um novo gás ao meu cantinho. Aos meus queridos 100 seguidores que seguem firmes e fortes - e aos especiais que não estão entre os seguidores oficiais mas que passam sempre por aqui para dar um oi - meu mais sincero OBRIGADA pela sua companhia, conselhos, broncas e palavras de carinho durante 2015. Que seu 2016 seja repleto das bençãos de Deus, da presença DEle em cada segundo da sua vida e que a gente se encontre por aí para conversar mais um pouco.

Feliz 2016 e não se esqueça da sábias palavras de Robertão... "Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi".




domingo, 27 de dezembro de 2015

Liebster Award - Parte II

Oi, tudo bem?



Pela segunda vez, fui tageada no Liebster Award.

Dessa vez, a Fernanda do Brisa da Tarde me tagueou e fiquei muito feliz - desculpa pela demora para responder :(

Vou deixar o link aqui da postagem anterior, respondendo as perguntas.

E fica livre para quem quiser participar e divulgar seu blog!

sábado, 5 de setembro de 2015

Tag - Viciadas em música

Oi, tudo bem?

A Mila, do Achados da Mila, me tagueou dia 21/8 e só agora eu consegui fazer a tag... #vergonha.

Antes tarde do que nunca...hehehe.

Vamos a seleção?

1) Uma música romântica



2) Uma música que te define
Na atual fase hehehehe


3) Qual música não saí da sua cabeça?


4) Uma música que, quando ouve, chora


5) Qual a sua música predileta no momento?


6) Que música não consegue gostar?
Qualquer uma de funk...nem precisa listar aqui né?!

7) Cite um trecho de sua música favorita
Acredita nesse amor maior que sofreu até morrer para te salvar...




8) Sua música predileta brasileira
Tivemos o mesmo gosto hehehe


9) Abra seu player aleatório e diga qual é a quinta música

Fiquem à vontade para copiar a tag, ok?!

E muito obrigada pela indicação, Mila!




quinta-feira, 28 de maio de 2015

O que não é o amor

Oi, tudo bem?

Esse post é referente à atividade do tema do mês do grupo Projeto Escrita Criativa, do Facebook.

O que não é o amor? Como responder essa pergunta? Acho que para começarmos a responder, precisamos entender o que é o amor. Mas para entender isso, penso que precisamos nos afastar de todos os conceitos que vemos nos dias de hoje por aí.

Sim, porque hoje em dia, amor é tão banal, corriqueiro, fraco, daqueles que começam e terminam num piscar de olhos.

Para mim, definitivamente não é amor o que vemos nos dias de hoje. Não vejo amor entre família, entre amigos, entre namorados. 

Você aguenta sua família, tolera seus parentes. Você tem amizades que te servem, que te trazem alguma vantagem ou benefício. Você namora para dar uns beijos, uns pegas, postar foto em rede social.

As pessoas banalizaram o verbo amar. As redes sociais estão cheias de “eu te amo”, que na verdade querem dizer “tô a fim”, ou “ele é uma boa oportunidade”, ou ainda “estamos acostumados um com o outro”!

O amor verdadeiro, daquele que eu aprendi na bíblia, está bem raro ultimamente. Na primeira oportunidade, as pessoas descartam pessoas e amam coisas.  E não foi assim que eu aprendi.

Quando você ama, você realmente curte a companhia da sua mãe e do seu pai, mesmo quando eles já estão velhinhos e não falando coisa com coisa. Você se preocupa com aquele amigo que não divide a conta quando vocês saem, que não te dá carona nem te dá nenhum benefício ou vantagem na vida; você liga e vai atrás mesmo que ele seja tão distraído a ponto de não retribuir a atenção, simplesmente porque você ama aquele ser estranho apesar de ele ser completamente inútil na sua vida.

E quando falamos de amor a dois, do tipo casalzinho de filme... bom, aí eu acho que a palavra certa é sustento. Quando o amor se sustenta apesar das brigas, das crises, da convivência, da diarréia, da falta de grana... se sobreviver a tudo isso, é amor.

Com certeza o cara que mais amou no mundo foi Jesus. Um amor leve, sem cobrança, daqueles que você sente lá no fundo, do fundo do fundo do coração. Coisa rara hoje em dia.

Bom, na minha humilde compreensão, isso é amor. O resto... o resto é o que não é amor.

domingo, 17 de maio de 2015

Projeto Escrita Criativa - Morning Pages

Oi, tudo bem?


Na tentativa de dar um novo gás ao blog - e à algumas partes da minha vida - surgiu um projeto muito legal que fui convidada a participar pela Fê Rodrigues, o Escrita Criativa.

O grupo no Facebook tem o objetivo de reunir pessoas que gostam de escrever e conta com 3 tipos de atividades diferentes para participar:
-  o tema do mês que é votado entre os membros do grupo
-  o gênero literário (um por mês, definido pela moderação) 
-  Fazendo História (em que os participantes escreverão um livro juntos)


Para começar, foi proposto uma publicação bem inusitada, as Morning Pages.  

Pensando que escrever histórias é um processo intenso, que precisa de um autor inteiro, vivemos uma rotina tão estressante que, muitas vezes, temos o tal bloqueio criativo. Há um exercício – de vida, diga-se de passagem – chamado Morning Pages (Páginas Matinais, em tradução livre) que tem como objetivo “limpar a mente” e registrar ideias, falas, sentimentos e possíveis rascunhos de material de escrita. Mais que uma tempestade de ideias, as Morning Pages servem para liberar a mente do escritor para a criatividade. Criada pela artista Julia Cameron (autora de mais de trinta livros, dentre eles, The Artist’s Way e The Miracle of Morning Pages), a atividade funciona da seguinte forma: você deve escrever três páginas de tamanho A4, no início de cada uma das suas manhãs, com pensamentos, sentimentos, acontecimentos e tudo mais que cruzar a sua mente. 

A ideia era criar 3 morning pages, mas com muito custo, consegui escrever uma hoje... Aí vai:

Bom dia papel,

Bom, tenho que começar por onde? Hum...vamos ver como foram as minhas últimas manhãs... porque, ultimamente, minhas manhãs tem sido um tédio... apesar que outro dia – na quinta pra sexta – eu quase nem tive manhã porque parecia um zumbi em pé, já que não consegui dormir direito por causa dessa tosse irritante e fiquei acordada até as quatro da manhã vendo TV.
Aliás, isso me faz lembrar que preciso baixar o documento Ilegal – a vida não espera para mammy ver. Assisti no GNT e fiquei chocada com as histórias. Tudo bem que achei o filme totalmente parcial, daqueles feitos para te induzir a apoiar a legalização da maconha. Mas acho que é um tema válido para ser debatido, apesar dos interesses capitalistas da indústria farmacêutica.
Mesmo agora, duas manhãs depois, ainda sinto o efeito de ter visto aquele documentário e ter compartilhado um pouco do sofrimento daquelas pessoas com dores crônicas. Credo, aquilo não é vida.
O que mais posso escrever aqui? Será que posso falar das minhas noites também? Que não tem sido boas por causa da tosse e por causa da ansiedade. Casa, casamento, lua-de-mel, vida nova, ficar longe de mammy... esse último item me dá nó na garganta só de pensar. Acho que é por isso que tenho chorado tanto ultimamente. Choro até em inauguração de supermercado! Que droga ficar tão emotiva! 
Deus, ou Espírito Santo, ou minha consciência...sei lá...ficam me dizendo para não ficar, que a ansiedade não leva a lugar nenhum e não ajuda em nada, não resolve nada. Que não é para eu ficar tão desesperada que tudo vai dar certo, vai se ajeitar com o tempo. Mas está difícil dar ouvidos à Ele, viu?!
Tem horas que queria fechar os olhos e acordar daqui um ano, com tudo estabelecido e terminado para eu não sofrer tanto...pena que não dá para fazer isso.
Hum...bom, hoje é domingo...dia de ficar de bobeira com mammy...vendo TV e arrumando as coisas...bora lá?!

domingo, 26 de abril de 2015

TAG - Recebendo o Liebster Award

Oi, tudo bem?


Hoje eu vim aqui para responder a tag Liebster Award, que recebi da querida Fê Rodrigues. Vamos lá?!

REGRAS: COMO FUNCIONA?
Todas as regras do prêmio estão disponíveis no blog oficial (em espanhol). Os blogueiros devem seguir as seguintes etapas:

Ao repassar o Liebster Award:

Você deve ter um selo Liebster para poder indicar outros blogs. O número de blogs indicados será 5 ou 11 ou 20, dependendo do alcance do seu blog;

A quantidade de indicados dependerá de quem lhe indicou. No meu caso, a Fê indicou 11 pessoas, então devo fazer o mesmo;

Ao ser indicado, você deve seguir quem lhe indicou;

Ao ser indicado, você deve ou escrever 11 fatos sobre você ou responder a 11 perguntas ou fazer as duas coisas - vai depender das instruções de quem lhe indicou. As perguntas podem ser as 11 do regulamento ou elaboradas por quem lhe indicou;

Você deve comunicar os blogs indicados para que eles possam receber o selo e responder à TAG;

Quem receber deve continuar a corrente para que os seus leitores possam conhecer outros blogs.

Ao receber o Liebster Award:

Você deve publicar o seu selo em um widget visível no seu blog. Recomenda-se que seja usado o logo rosa na primeira nomeação e o verde na segunda.

Você pode nomear e ser nomeado em até 11 vezes - se for nomeado pela 12ª, pode ceder o seu prêmio a um blog menor; 

Se seu blog tiver mais de 200 seguidores, recomenda-se repassar o selo a blogs pequenos, de forma a incentivar o seu crescimento.

11 FATOS SOBRE MIM:

1) Adoro ficar vendo vídeos no Youtube, sem temas específicos. Tour pelos cômodos da casa, dicas de livros (confesso, os melhores) e estou inscrita em vários canais. Comecei com essa mania depois que o garoto me deu o smartphone.

2) Eu sou voluntária virtual do Médicos sem Fronteiras e parceira do Portas Abertas. Confiram os links: as histórias são inspiradoras!

3) Tenho mau humor de manhã quando acordo e demoro uns 30 minutos pra "pegar no tranco". Sou totalmente bicho da noite e não funciono bem de manhã.

4) Morro de orgulho da minha biblioteca virtual: já tenho 871 títulos.

5) Estou sempre tentando "dar um jeito na minha vida". Alimentação mais saudável, praticar atividades físicas, ser mais calma, me cuidar mais e ser mais vaidosa... mas sempre acabo desanimando na terça-feira.

6) Minhas comidas favoritas são: filé a parmegiana, macarrão com salsicha e arroz/feijão/bife/creme de milho.

7) Devo ter nascido com o fígado de um velho bêbado. Qualquer coisinha diferente que eu como, pronto! Mau estar na certa. Ainda bem que não tomo álcool ou acho que já teria uma cirrose nos trinta anos.

8) Sou viciada em informação e organização. Leio tudo que cai na minha mão, até bula de remédio. Minha lista de favoritos no Chrome é gigante e, lógico, separadas por temas e em ordem alfabética.

9) Quer me ver virar o bicho? Maltrate um cachorro na minha frente. Já dei bronca até no padre da cidade: quando era pequena, minha família ainda era católica e eu fui na missa um dia à tarde com mammy e fui agradando um vira-lata até a porta da igreja e o padre não deixou o bichinho entrar. Lá fui eu puxar a batina do padre: "ele é bichinho de Deus e também pode vir na missa". Mammy queria um buraco pra sumir nesse momento.

10) Sonho em aprender falar Francês e conhecer a Irlanda. E também em ir pra Ásia comer espetinho de escorpião.

11) Assustei com os 11 itens sobre mim, mas consegui!!!!

Perguntas da Fê Rodrigues:

Por que você decidiu fazer um blog?
Sempre gostei muito de escrever e sempre tive diários, agendas e tudo mais. Quando conheci o blog - na época era na UOL ainda - eu comecei a escrever, querendo conhecer gente nova. Por isso, o título do blog.

Quem você admira na blogsfera?
Nossa, perguntinha complicada! Acho que todos os blogs que sigo tem um motivo: admiração. Só leio e acompanho blogueiros com os quais eu tenha alguma identificação. 

Em qual país gostaria de viver?
Irlanda ou Inglaterra.

Por que você acha que lhe indicaram ao Liebster Award?
Hum...boa pergunta... acho que é porque faz muito tempo que acompanho os blogs da Fê e realmente a considero uma amiga, apesar de não conhecê-la pessoalmente.

Qual é o seu maior êxito?
Tenho muito orgulho de onde estou hoje: construindo minha própria casa com meus próprios recursos, com uma profissão e um trabalho que amo e que me pagam pra isso, com todas as coisas que tenho pagas pelo rico e suado dinheirinho....ser uma pessoa honesta e com a consciência tranquila não tem preço. E com uma família ainda unida, apesar de tudo o que já passamos juntos. É, acho que sou uma sobrevivente.

Qual é o seu maior fracasso?
Sempre que olhamos pra trás, temos a sensação de que poderíamos ter feito mais, né?! Talvez, meu maior fracasso foi ter medo de arriscar um pouco mais.

Seu blog favorito.
Outra perguntinha difícil... Mas vamos lá, vou escolher só um: Fabiana Bertotti

Sobre o que você gostaria de escrever mais no seu blog?
Queria conseguir postar mais resenhas de todos os livros e filmes que leio e vejo.

Viajar, cozinhar ou cantar. Escolha uma e diga o por quê.
Viajar porque é uma sagrada terapia e cozinhar porque me sinto o Ratatouille na cozinha. Cantar... bem, digamos que Deus vê o nosso coração (ainda bem que não liga para minha voz hehehe).

Deixe um conselho, um truque ou uma dica que seja uma das temáticas do seu blog ou um assunto de seu interesse.
"Procurando amigos virtuais" é uma tentativa de ser mais aberta para o mundo. Arrisque, ouse e não tenha medo. 

Esperamos que você continue atualizando o seu blog. Sobre o que você irá falar nele?
Ainda teremos muitos posts sobre #ProjetoCasa e #OperacaoCasamento pela frente.

Blogs indicados:








8) Uma bagunça deliciosa (vamos ver se ela voltar postar assim...)




Minhas perguntas para vocês:

1) O que você considera importante na vida?

2) Qual sonho você ainda não realizou?

3) Por que você começou seu blog?

4) Cantar ou dançar?

5) Como você se auto define?

6) Qual seu maior medo?

7) Um absurdo dos dias de hoje...

8) Filme ou livro que você veria (ou leria) várias e várias vezes.

9) Um hábito estranho...

10) O que espera do seu futuro?

11) Achou díficil responder as onze perguntas?

Vamos passar essa tag pra frente, hein?!


terça-feira, 7 de abril de 2015

Tag de tudo um pouco

Oi, tudo bem?

A Mila me indicou nessa tag e eu amo participar de blogagens coletivas e tags, então... vamos lá:

Regras
Deve indicar 11 blogs com menos de 500 seguidores;
Colocar o selo da Tag;
Colocar os créditos ao blog Atrás da Penteadeira;
Colocar o blog que te indicou.



Perguntinhas
1- Qual seu estilo musical preferido?
Boa pergunta...geralmente, gosto do que está tocando no rádio..se for pop rock, melhor ainda.

2- Qual peça de roupa é sua queridinha no momento?
Meus shortinhos de calor, fresquinhos e floridos para ficar em casa de bobeira.

3- Qual de seus esmaltes é o mais divo? Marca e cor.
Babado Forte, da linha Color Trend da Avon

4- Shorts ou saia? Por quê?
Sempre shorts, não muito curto. Saia só se for longa.

5- Cabelo liso ou cacheado?
Sempre cacheado

6- Salto ou sapatilha?
Depende da ocasião.

7- Brigadeiro ou sorvete?
No verão, um bom picolé de limão. No inverno, o brigadeiro de panela é imbatível.

8- Doce ou salgado?
Depende do humor do meu estômago.

9- Como você define seu estilo?
Casual.

10- Você é do tipo de mulher consumista, ou só compra o básico?
Só o básico sempre.

11- Você se considera muito vaidosa?
Gostaria de ser mais.

Blogs indicados
Gente, dessa vez eu vou deixar livre para quem quiser participar, ok?! 

segunda-feira, 30 de março de 2015

Meme: Amante da Leitura


Vi esse meme no blog da Micha e me tive que fazer o meu!

Vamos lá!?

Você lê rápido ou devagar?
Depende. Acho que o livro mais rápido - e grosso - que li for Marley e Eu. Li em UMA NOITE. 

Livros grossos/pesados ou finos/leves?
Com boas histórias, mas os grossos me atraem mais

Bibliotecas ou livrarias?
Livraria.

Audiobook ou e-book?
Ebook, sempre Ebook. Morro de orgulho da minha biblioteca virtual, com mais de 800 títulos, garimpados a dedo na web.

Versão normal ou versão pocket?
Normal

Vampiros ou fantasmas?
Hum...boa pergunta...acho que ando meio enjoada dos dois.

Você lê um livro de cada vez ou lê vários de uma vez?
Geralmente, leio um físico e um on line.

Novos ou antigos?
Novos.

Você usa marcadores de livro ou dobra a página em que parou?
Costumo usar aquela aba da capa mesmo. Mas confesso que tenho o péssimo costume de dobrar a folha em páginas com citações marcantes - até grifo as vezes #pecado

Biografias ou memórias?
Biografias. 

Livros de terror ou chick lit? 
Chick-lit. Adoro!!!

Você prefere ler no sofá ou na cama?
Na cama, antes de dormir, para relaxar.

Dentro de casa ou ao ar livre?
Dentro de casa, trancada no quarto.

Você prefere ler o original (inglês) ou a tradução em português?
Já tentei ler o original - a primeira tentativa foi O diabo veste prada, mas acabei frustrada por não conseguir entender tudo. Fico com os traduzidos mesmo.

Poesia ou prosa?
Hum...não sei...mas não sou muito fã de poesia.

Você prefere ler autores do sexo masculino ou feminino?
Sem preconceitos. Só não sou muito fã de livro com filhos 

Livro ou filme?
Livro, livro, livro, sempre livro. Até porque não conheço nenhuma adaptação que foi fiel ou superior ao livro.

Livros de receitas doces ou salgadas?
Nenhum...prefiro procurar no Google.

Romance ou suspense?
O que vier...

Primeiro livro adulto que li e gostei:
Hum.... lembro dos livros da escola... Mémorias Póstimas de Brás Cubas, Senhora, Capitães de Areia.

Clássicos que eu digo ter lido, mas que na verdade não terminei:
Dom Casmurro...eca, que livro chato!

O livro mais chato que já li:
São várias, mas acho que ninguém supera Vidas Secas.

Melhor autor(a) de livros infantis:
Puxa, li vários livros na infância, mas acho que não vou lembra do nome de todos. Acho que o que mais me marcou foi Pretinho, meu boneco querido.

O livro que mais mexeu comigo:
Curti uma boa fossa literária com Como eu era antes de você. Na adolescência, teve a Série Cris.

Último livro que você leu (ou livro que está lendo):
Estou lendo Redenção.

Quem quiser, fica à vontade para participar, ok?!


O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...