sábado, 24 de maio de 2014

Por quê, Senhor?!

Oi, tudo bem?

Esse post é um desabafo. Por que o mundo está assim? Por que as pessoas só reclamam, competem umas com as outras e não colaboram entre si para um bem melhor? Eu não vejo a hora de ir pro céu e sair dessa bagunça.

Ultimamente, o clima no trabalho tem piorado. A equipe não é mais tão equipe assim: uma menina bem querida foi promovida e foi embora da nossa unidade. Tem uma que ficou que é muito amiga de outra e as duas vivem de fofoquinhas e cochichos durante o expediente e só trabalham quando a chefe está presente. A mais encrenqueira só sabe criar mal-estar, sendo grossa e mal educada, arrumando briga e falando mal de tudo e todos e desmerecendo as coisas alheias. Mas, é claro, na frente da chefia, ela é educada, prestativa e super "boazinha".

Eu perdi a minha parceira de horário e agora trabalho com uma que não gosta do serviço, não gosta do horário, não gosta de nada e só vive na Internet, no mundo cor-de-rosa das coisas fashion e dos looks do dia.

A chefia..bem, a chefia. Acho que ela tem muito o que fazer e acredita muito nas pessoas, porque não acredito que ela não veja as coisas que acontecem. Temos duas funcionárias que só sabem reclamar, reclamar, reclamar e já ganharam até apelido carinhoso por causa disso. Conviver ao lado delas é ouvir uma reclamação a cada segundo e, se você falar alguma coisa que não seja concordando, você é taxada de puxa-saco, bobinha, inocente demais.

A funcionária nova não gosta de telefone. Quando ele toca, ela fica lá, olhando pra ele. Acho que ela espera que ele irá se atender sozinho. Sou obrigada a depender de um outro departamento para fazer algumas atividades e toda vez que alguma atividade fica atrasada, ai de mim se questionar. Por que ela está fazendo isso, aquilo, aquilo outro. E o pior é que vem se justificar pra mim por email, com cópia pra meio mundo inclusive os diretores. Isso porque eu comecei a conversar em particular, ao vivo e a cores. Mania de querer documentar tudo. E ainda por cima, quer levar crédito por coisas que foram feitas por mim e não por ela!!!

Olha, desculpem pelo post pesado e cheio de desabafos mas é que eu penso que devemos ser gratos. Se Deus nos deu um trabalho, devemos ser gratos e fazer nosso melhor. Nosso testemunho é nossa maior arma para mudar o mundo. Se você não faz suas atividades com amor, o resultado vai refletir de alguma forma: clientes insatisfeitos, menos clientes a cada dia, aumento da inadimplência. 

O problema é que sempre tem quem se esforça mais, se dedica mais, e é reconhecido de menos. A cada dia, parece que os valores estão se invertendo e o negócio é fazer o mínimo para manter o mínimo, já que quando você faz o máximo, não faz diferença nenhuma mesmo.

Sei lá... só estou muito chateada por ver que meu ambiente de trabalho não é mais o mesmo, as pessoas não são mais as mesmas e está cada vez mais difícil conviver. 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Tantas, tantas coisas

Oi, tudo bem?

Cof, cof, cof. Vamos tirar a poeira daqui, né?! Sabe que eu até mando fazendo uma lista dos afazeres fora do trabalho e tem sempre um item "fazer post sobre tal coisa", "visitar blogs amigos", mas está difícil conseguir conciliar tudo.

Vamos aos fatos.

Estamos levando bem a sério a proposta da nutricionista de passar o zíper na boca e perder os cinco quilos que ganhei desde que conheci o garoto. Posso ser sincera?! Nem está sendo tão difícil assim. Como ela não me proibiu de nada - só diminuiu as quantidades - fica mais fácil controlar a gula porque eu não preciso passar vontade. E não é que tive ótimos resultados no primeiro retorno?! Em duas semanas, perdi 1,5 kg e 3 cm de barriga. Yupiiiii!!! Não sei se isso é um super resultado ou algo totalmente normal para quem está fazendo reeducação alimentar, mas eu sai de lá tão feliz e leve, literalmente, e bem motivada para manter o ritmo. Até porque estou lendo um livro muito legal que ensina que não é chique beliscar e que o ato de comer deve ser um momento sagrado de degustação para que a gente possa saborear cada alimento com a reverência necessária (chique, né?!) #depoistempostdisso

Como estamos nessa linha light, o garoto e eu não temos saído tanto para comer fora e estamos ficando mais em casa, curtindo programas mais saudáveis e econômicos também. Só que teve uma final de semana que eu fui fazer o meu jantar padrão - yakimeshi com frango xadrez - que é a receita favorita de todo mundo em casa quando o assunto sou eu na cozinha e... tivemos um pequeno blackout na cidade bem na hora que comecei a tomar banho.

Já estava ensaboada e tive que tirar o sabão com água gelada,mesmo com o frio que estava. Daí, para conseguir cortar os ingredientes e prepara a receita na cozinha - já que já estava anoitecendo e tudo estava meio escuro - tive a super ajuda de mammy e sua lanterna biônica. Alguém aí já cozinhou e picou à base de luz de lanterna?! rsrsrsrsrs foi bem engraçado. E eu quase não enxergava porque o vapor da comida embassava a lente do óculos e, no escuro, já viu né?! rsrsrsrs Mas, graças a Deus, a energia voltou antes do esperado e eu pude tomar um novo banho DESCENTE para tirar o sabão para valer - já estava com a perna toda coçando de alergia rsrsrs - e a receita ficou igualzinha à quando eu faço com luz....rsrsrs.

Dos livros lidos ultimamente, eu sei que estou devendo um post só disso e prometo que vou tentar providenciar o quanto antes. Estou feliz com o meu novo recorde de 11 livros lidos até agora e caminhando para o 12º do ano.

Agora, me diz uma coisa: você já olhou o espaço no telescópio? Eu já!!!! No último sábado teve um evento aqui na minha cidade em parceria com o pólo da USP para gente olhar o ceú. Teve exposição de fotos do espaço sideral, meteoritos e tinha até uma cabine para você entrar e tirar foto como se fosse um astronauta. E é claro que eu fui lá!!!  Eu e o garoto ficamos uma hora e meia em pé, em uma fila lotada de crianças de colégios da cidade para tentar ver o espaço. Primeiro, tentar ver a constelação do Cruzeiro do Sul, mas as nuvens fecharam e o tiozinho que estava cuidando do telescópio disse que não ia dar pra ver enquanto as nuvens não limpassem. No telescópio do lado, o outro tiozinho era mais amigo e ficava virando o telescópio para todo lado, toda vez que uma nuvem entrava na frente. Nessa fila, a gente teve que esperar um tempão e ainda esperar uma família de quatro pessoas que quiseram ver por duas vezes antes de chegar na nossa vez, só porque o tiozinho tinha virado o telescópio e estava focalizando outra coisa. E, finalmente, chegou a nossa vez. Era para vermos Marte. E, para ser sincera, eu esperei uma hora e meia em pé, no frio, para ver um ponto de luz laranja em uma imensão negra. Foi meio decepcionante, mas gostei da experiência nerd. Teve sorteio de brindes e, pela primeira na vida, tanto eu como o garoto fomos sorteados e ganhamos uma caneca da USP cada um.

Agora, ontem foi diferente. Tivemos um culto especial na igreja, em homenagem ao aniversário do grupo jovem e contamos com a presença de um pastor convidado especial: o meu primeiro amor. Sabe aqueles amores de adolescência, quando tudo é definitivo, trágico e levado ao extremo?! Pois é, ele foi isso tudo pra mim. Como diz uma música "Mas quanta coisa aconteceu e foi dita.Qualquer mínimo detalhe era pista.Coisas que ficaram para trás. Coisas que você nem lembra mais. Mas eu guardo tudo aqui no meu peito..." e é assim mesmo que eu me sinto em relação a ele.

Hoje, ele está casado e seguiu o seu caminho e eu estou muito feliz com o garoto, conforme já falei aqui. Mas sempre fica aquela vontade de dar o troco, de mostrar o quanto estou bem melhor sem ele e o quanto ele foi um tremendo otário por não me dar valor. Então, caprichei meu melhor look, juntei o garoto do meu lado e fui para igreja.

A esposa dele é bem mais bonita ao vivo do que por foto e parece ser muito legal. Ele..bem...ele está assim...meio....fofo...quer dizer,.... umas três vezes mais do que ele já era há doze anos atrás. E continua sendo o mesmo cara de sempre. Me cumprimentou na saída da igreja e eu fiz questão de apresentar o garoto como "meu noivo". E foi isso. Eu tive a chance de mostrar que estou bem melhor sem ele.

Agora, estamos entrando em uma fase bem corrida no trabalho com renovação de cadastro de clientes e cadastramento de novos clientes. Pode ser que eu demore a voltar. Mas prometo que volto!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Aprendendo o Não

Oi, tudo bem?

Confesso que nem ia passar por aqui essa semana porque não tenho nada muito assim para contar.

Até andaram acontecendo algumas coisas bem legais em relação a Operação Casa e ao Projeto Casamento, mas como tudo está ainda bem no comecinho, eu prefiro contar depois que tudo estiver mais encaminhado. Sem ressentimentos, né?!

Como passou o feriado? Espero que bem. Eu tive um feriado delicioso! Super tranquilo, sem nenhuma grande viagem ou nada muito diferente do convencional. Mas sabe aqueles dias que te deixam com aquela sensação gostosa de que podiam voltar? Os meus dias de feriado foram assim.

Acho que é porque estou aprendendo a falar não. Achou estranho? Na vida, a gente sempre acha que precisa falar sim, sim, sim. Sim, senhor para tudo. Mas tem hora que a gente precisa falar não. E eu falei alguns nãos nesse feriado e tive dias inesquecíveis.

Falei não para dormir um pouquinho além do horário... e consegui caminhar com mammy todos os dias pela manhã e colocar o papo em dia, ir ver o nosso terreno - onde vamos construir a minha casa e a área de lazer deles - e aprendi alguns novos roteiros de caminhada para variar a minha caminhada matinal.

Falei não para ficar sem fazer nada o dia todo... e consegui montar uma lista (claro que elas tinham que estar presentes para fazer meu feriado mais feliz, né?!) das coisas que eu queria fazer e consegui fazer tudinho, tudinho. Atualizei o blog com todas as postagens que estavam atrasadas, visitei todos os blogs amigos, organizei os arquivos no micro, dei uma conferida nas roupas que estão pedindo por uma costureira, terminei meu 10º livro do ano - o que me faz lembrar que preciso fazer uma resenha, ou melhor duas... lá vem post por aí rsrsrs.

Falei não para ficar neurótica com a história da nutricionista.... claro que me policiei, comi com cuidado e atenção mas não deixei de ir almoçar fora com mammy - se bem que deixei metade do prato e deu uma dó danada, mas foi porque acho que o organismo já acostumou com a pequena quantidade e não aguenta muito mais que o normal que tenho comido ultimamente -, não abri mão de comer a bolacha de nata que mammy fez, o pão de queijo que ela fez e de comer as coisas que me deram vontade no feriado. Só que comi com moderação, falando sim para vontades mas não para gulodice.

Falei não para ficar isolada do mundo com o garoto... e fomos visitar a igreja dos nossos amigos na sexta e no sábado. Tivemos a oportunidade de participar de um encontro de casais (eu? em um encontro de casais? dá para acreditar?!) super gostoso no qual a gente fez uma dinâmica sobre como resolver conflitos a dois... Acertamos 6 de 16 questões e foi só risada rsrsrs. Isso acabou fazendo muito bem para gente porque o clima estava meio pesado entre nós porque eu estou preocupada com o futuro profissional dele de novo: ele vai participar de duas provas de seleção e eu quero que ele estude e se dedique, mas ele não tem incentivo da família e sempre fica achando que não vai conseguir, fica duvidando do potencial que tem. Daí, com a minha santa paciência (estou sendo irônica, ok?!), a gente acaba discutindo. 

Mas, ao final do encontro, o pastor falou palavras tão sábias e bonitas que valeram toda a noite. Falou que a beleza vai passar, a barriguinha vai crescer rsrsrs, o pique vai diminuir, o carinho da mão pode mudar (ele até brincou com outro irmão da igreja porque os dois sofreram acidente de trabalho e perderam alguns dedos da mão e ele brincou que o carinho muda, às vezes até falta dedo para fazer carinho rsrs) mas que o amor que Deus derramou é o mais importante e que a gente devia olhar bem para quem estava do nosso lado porque não existia ninguém do mundo melhor para nos amar e nos aturar pro resto da vida. #fato

Por isso, eu estou tentando - dia após dia - ser mais paciente e mais companheira com ele. Não ser tão arrogante porque eu estudo mais, leio mais, gosto mais de coisas mais nerds do que ele. E estou tentando deixar ele seguir o caminho que quiser no tempo dele, orando a Deus para que o nosso caminho seja de paz, amor e estabilidade.

Sabe de uma coisa?! Relendo o post para ver se está compreensível, eu percebi que até que fiz bastante coisas no feriado... e até que tinha bastante coisa para contar aqui. Que bom que passei por aqui para falar com você!


quinta-feira, 1 de maio de 2014

A terra da saúde, beleza e do vulcão

Oi, tudo bem?

No último domingo, eu e o garoto encaramos outra excursão. Desta vez, fomos para Poços de Caldas em Minas Gerais. Logo eu que não dava nada para a viagem, confesso que voltei de lá nas nuvens.

A viagem de ida foi bem...hã...congelante. Estava muito frio e o ar condicionado do busão estava pra lá de forte. De acordo com comentários do garoto, eu estava com nariz vermelho de tanto frio rsrsrs.

Tivemos uma guia muito especial e querida, a Eliete, que nos acompanhou durante todo o dia, passando pelos pontos turísticos das cidade. 

Começamos pela feira de artesanato de uma das praças centrais da cidade ontem tem uma fonte das águas termais, a Fonte dos Macacos. A cidade, que ficou famosa pelas águas termais sulforosas, contém com fontes ricas em enxofre, que tem, no entanto, indicações e contra-indicações. É indicada para quem sofre, por exemplo, de reumatismo crônico (artrite, artrose, fibroses), fora das crises agudas. Idem para tratamentos de nevralgias (ciática inclusa), doenças crônicas de pele, doenças alérgicas e doenças de nutrição (diabetes, gota etc.), para quem teve intoxicações medicamentosas (sulfas, penicilina) e para bronquites crônicas. Mas é contra-indicada para quem tem doenças agudas febris, infecções e inflamações e, também, para crises agudas de doenças do fígado, intestino, rins, bexiga e próstata. Portadores de aneurismas, pessoas que têm pressão arterial muito alta ou muito baixa e mulheres grávidas em qualquer mês de gestação também devem tomar cuidado. A água brota à uma temperatura superior à 30° e tem um cheirinho meio desagradável, de ovo choco, por causa do enxofre.


Eu e o garoto experimentamos a água. Eu passei na mão porque estava com um dedo machucado da manicure e eu passou no braço que estava doendo. Dá um alívio na hora quase instântaneo e é bem interessante. Mas não dá para colocar na garrafinha e trazer para casa porque ela perde os benefícios quando esfria.

Na feirinha do Artesanato, fiz algumas comprinhas para mammy, pappy e até para Nina - mas o vestido dela não serviu...acho que fiz bullying com a gordinha da casa rsrs. 

Depois, seguimos para o recanto Japonês que é uma réplica de um jardim nipônico, com construções e vegetações típicas. Localizado numa vertente da Serra de São Domingos, é rodeado de mata nativa. O lugar é uma viagem à cultura oriental. No local o visitante encontra um caramanchão, cópia existente nos jardins do palácio imperial japonês Katsura-Rikyu, em Kyoto, casa de chá, quiosque, lago artificial com carpas coloridas. Fonte dos Três Desejos: Amor, Saúde e Inteligência, trilhas para caminhadas ecológicas. Fora que o macaquinhos que habitam o lugar são uma atração à parte de tão simpáticos!

Teve visita à uma pequena fábrica artesanal de queijos e vinhos - e nessa aí, mandei o garoto na frente para ele ir experimentando as coisas que ia trazer para casa porque mammy e pappy adoram isso mas eu não sou muito fã.

Depois do almoço, conhecemos a cachoeira Véu das Noivas que é formada por três quedas d´água que chegam a dez metros de altura. A cascata forma bonitas corredeiras emolduradas por pinheiros e flores e tem um trenzinho faz passeios nos arredores, mas não deu tempo da gente conhecer. 


Tem também outra feirinha lá, muito legal (aliás, o que mais tem lá é feira de artesanato rsrsrs) e tem um tiozinho tirando fotos caricatas muito legais, daquelas que você encaixa a cabeça na placa que tem o desenho, sabe?! Por R$ 2,00 apenas!

Lá vem outra cachoeira...a fonte dos Amores. Uma pena estar quase seca por causa da estiagem desse ano. Diz a lenda, que um jovem Padre apaixonou-se perdidamente por uma encantadora jovem e, como o pai dela, um fazendeiro da região, tudo fazia para impedir o namoro, decidiram fugir e se refugiaram no bosque junto à fonte. 


O pai da jovem empreendeu todos os esforços para encontrá-los, mas foi tudo em vão. Algum tempo depois um caçador perdido, acabou por encontrar o corpo do casal. Morreram nus e abraçados um ao outro, de fome e frio. Penalizado o pai mandou erguer a estatua e colocou junto a fonte para recordar a filha que morreu de amor.
Inaugurada em 1929 o local atrai pelo clima romântico criado pela escultura em mármore de um jovem casal abraçados, esculpida pelo artista italiano Giulio Starace. 

No final da tarde, o passeio ficava livre. Fomos andar de bondinho para conhecer o Cristo - aventura à parte porque eu quase morri do coração e paguei muito mico com aquela altura e todo aquele sacode-pra-lá-e-pra-cá mas valeu a pena, conhecemos o relógio das flores e depois visitamos a Feira dos livros.


** Durante o passeio, a guia falou sobre a feira dos livros e sobre o museu e eu fiquei prestando atenção. Minha cara me entregou tanto que ela perguntou no meio do busão "trabalha com educação?". Eu fiz que sim com a cabeça e ela logo emendou "seu olho brilha quando falo dos livros" #minhaculpa


Sei que o dia valeu muito a pena e faltaram muitos lugares para ir. Por isso, o garoto está animado para passarmos a lua-de-mel lá. O que acham? 

Zíper na boca

Oi, tudo bem?

Eu sempre fui magrinha, magrinha mesmo de dar dó. Mammy sempre me acompanhou nas loucuras das dietas para engordar, comprava potes de Sustagen para tomar, fazia vitaminas bem reforçadas, caprichava nos doces e tortas. E nada. A filhota nunca ganhava uma grama sequer.

Na escola, sempre tive todos os apelidos de magrela possíveis; tinham amigos que até brincavam que eu não me molhava na chuva porque "cai um pingo aqui e um pingo aqui e ela fica no meio" ... sem graça.

Mas eu fui crescendo. E, bem devagarzinho - devagarzinho mesmo, à passos de tartaruga com câimbra - eu comecei a ganhar uns quilinhos aqui e ali. E sempre fui muito feliz com meu corpo, sempre fui bem desencanada com balança, caloria, exercício, academia.

Mas o garoto chegou, as saídas para jantar fora aumentaram (e muito) e os trinta-e-alguns anos também chegaram, contribuindo para o meu querido metabolismo ficar mais lento e as gordurinhas começarem a se instalar no meu corpinho.

Fato é que estou me sentindo meio flácida, um pouco gor.. ops, fofa e resolvi ir atrás de me cuidar melhor. Antes que a barriguinha que já virou pochete vire uma mochila! Comecei a academia - e confesso que já parei porque não consegui mandar a vibe de encarar esteira todo santo dia - e estou mantendo o ritmo da caminhada diária. 

E, na última semana, fui atrás de uma nutricionista. Sim, porque eu já tinha ido atrás de uma há um tempo atrás mas era uma antiga colega de escola da qual não tenho boas lembranças.

Então, recomeçamos com essa aí.

A nova-doutora é mais velha e até meio fofinha também mas eu achei o conceito dela de alimentação muito mais legal. Ela ficou conversando comigo quase uma hora e perguntou absolutamente todos os meus hábitos. E minhas suspeitas estavam certas: meu problema está nas beliscadas no trabalho e nas saídas com o garoto.

Ela não me proibiu de comer nada, graças a Deus. Aliás, me proibiu de me pesar em balança de farmácia para não ficar ansiosa rsrsrs. Só pediu para eu reduzir certas quantidades, adequar melhor meus horários para ocupar o estômago e caprichar na quantidade de água, verdura e frutas. Nada de alimentos light, diet, integral porque são caros e sem gosto, segundo ela. Adorei! 

E adivinha? Logo eu que sempre achei que tomava água o suficiente, descobri que não tomo nem um litro por dia! Comecei a contar as garrafinhas de água que eu encho no trabalho e, principalmente agora no inverno, está um pouco difícil descer tanta água mas vamos lá.

Para quem tiver interesse, olha como ela me passou a reeducação alimentar:

Café da manhã:
200 ml de leite
1 pão francês sem miolo ou 2 fatias de pão de forma ou 2 colheres (sopa) sucrilhos

Almoço:
Salada à vontade
4 colheres (sopa) arroz
1 concha feijão
Mistura - a quantidade que couber na mão
1/2 copo de suco

Lanche da tarde:
Fruta ou iogurte ou barra de cereal

Jantar
O mesmo do almoço ou lanche natural 

Lanche da noite:
Fruta ou iogurte ou barra de cereal

Ceia:
1 copo de leite

E aí, gostaram?

O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...