Mostrando postagens com marcador luto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador luto. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

E mais uma perda

Oi, tudo bem?

E lá vamos nós para mais um velório...

Entre as duas perdas da minha amiga, o garoto perdeu a avó.

Ela já estava velhinha - ia fazer 90 anos em outubro - e começou a desenvolver os problemas típicos da idade.

Problema no coração - toma remédio que mexe com o rim.

Problema no rim - toma remédio que mexe com o intestino.

Problema no intestino - toma remédio que mexe com o fígado.

Conserta de um lado, estraga do outro.

Ela já tinha deixado avisado que não queria que estendessem a vida dela no leito do hospital; e assim foi feito. Ela foi internada e teve uma piora rápida - menos de 1 semana depois, ela faleceu.

O velório foi muito sentido por todos porque ela era a vó mais ativa, tão velhinha mas tão disposta, tão lúcida. E, pra ajudar, na hora do enterro, lá estávamos nós de novo com aquela garoa fria e gelada para encerrar a tarde.

Parecia o dia chorando a morte dela....

terça-feira, 13 de novembro de 2018

O que é a vida?

Oi, tudo bem?

Escrevo esse texto com um certo peso no coração por uma amiga que teve um ano bem difícil até agora.

Infelizmente, ela perdeu duas pessoas extremamente importantes na sua vida, dois pilares que sempre a sustentaram em todos os sentidos. Ela perdeu a mãe e a vó em menos de 2 meses.

Acompanhamos toda a dor que ela enfrentou, o período sofrido de internação da mãe que teve complicações de uma cirurgia por um erro médico e a internação da avó que veio logo em sequência e parecia uma repetição dos acontecimentos anteriores.

Nessa hora, o que a gente fala para uma pessoa dessas? Existe alguma palavra para consolar, diminuir a dor ou abrandar a perda? Como ajudar uma pessoa assim a seguir em frente, a levantar todos os dias apesar da dor, a seguir com a vida apesar do sofrimento?

Como bem disse o pastor Hernandes Dias Lopes em um vídeo que eu enviei para ela ver, de todas as dores da vida, a dor do luto parece ser a mais aguda. Infelizmente, todos nós enfrentaremos essa dor, ninguém escapa. Não é fácil enterrar um ente querido ou um amigo do peito. A dor do luto dói na alma, aperta o peito, esmaga o coração e arranca lágrimas dos nossos olhos. 

Até Jesus chorou no túmulo de Lázaro.

Mas, existe um amparo, um conforto na fé que nos sustenta todos os dias. A mesma fé que nos faz levantar para buscar o pão, para procurar um emprego, para levar o filho no médico, para acreditar no amor. A fé em Cristo traz a esperança porque Jesus já venceu a morte. Aqueles que nele creem nunca morrerão eternamente. 

Aqui, choramos a dor da saudade, mas sabemos onde nossos queridos estão. Eles estão no céu com Jesus. Para os filhos de Deus, que nasceram de novo, morrer é deixar o corpo e habitar com o Senhor.  Como já disse o apóstolo Paulo, "viver é Cristo e morrer é lucro"(Fp 1:21).

Isso não abranda o sofrimento, a dor. Mas Deus nos sustenta de forma sobrenatural. Tenho uma amiga que perdeu o marido muito cedo - ela até tem um blog contando toda a história. Aprendi com ela o sentido do versículo bíblico sobre "a paz que excede todo o entendimento" (Fp4:7). Aquela paz que brota no coração da gente na hora que não era para ela estar lá, aquela força que vem de dentro e te ajuda a seguir um pouquinho a cada dia até o sol nascer de novo. Essa paz é Deus e só Ele consegue fazer isso.

Oro pela amiga todos os dias - para que ela venha experimentar essa paz que excede todo o entendimento.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

L-U-T-O

Oi, tudo bem?

Passando apenas para registrar luto. 

A minha última avó viva faleceu hoje.

Há um mês, ela já vinha sofrendo com as sequelas de um avc e já estava com 85 anos.

Não tenho muito o que falar porque nunca fomos próximas. Mammy foi criada com a minha bisavó, a espanhola Ana da qual herdei o nome e o gênio, segundo mammy. Só faltaram os olhos azuis.

Mammy me surpreendeu chorando bastante no velório; logo ela, que é tão díficil chorar. Mas a perda da mãe deve ser muito dolorida, mesmo quando não tivemos o contato da convivência diária.

Obrigada pelas orações de todos.


O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...