Mostrando postagens com marcador the book thief. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador the book thief. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Filme ou livro?

Oi, tudo bem?

Escrevo esse post depois de ver o filme A menina que roubava livros, adaptação cinematográfica do grande sucesso literário de Markus Zusak e fico com aquela dúvida: filme ou livro?

Tenho o livro desde dezembro de 2008 - ganhei no amigo secreto no trabalho de uma funcionária que achou que o título combinava comigo porque eu gostava de ler. Eu fiquei enrolando a leitura por quase cinco anos; sempre tentava começar e parava porque o início do livro é mórbido demais pra mim.

Daí, ano passado, eu vi o trailer do filme na Internet e resolvi que tinha que terminar de ler o livro antes de ver o filme porque eu adoro aquela sensação de familiaridade ao assistir uma história que já habitou minha mente antes.

Daí, semana passada, achei o filme para download na Internet e resolvi conferir porque não queria esperar até o final do mês para encarar a fila do cinema.

E o que falar do filme?

Bom, eu li o livro no mês passado, então, acho que já esqueci alguns detalhes. Li alguns comentários na Internet de gente que falou que o Rudy tinha que ser moreno, a Liesel não tinha olhos claros no original...sinceramente, não lembro desses detalhes.

[SPOILER... Não leia se você não quiser saber do filme sem ver]
.
.
.
.
.
.
.

Eu achei que o filme é bem fiel ao livro, dentro do possível para 2h10 de projeção. Muita coisa ficou de fora - os detalhes contados no livro que, pra mim, fariam bastante diferença no impacto emocional que a história tem.

A participação da narradora mais que especial, a Morte, pareceu muito pequena pra mim. Alguns dos momentos mais emocionantes do livro são nos longos pensamentos que ela discorre enquanto busca as almas durante a 2ª Guerra Mundial.

É claro que existem diferenças, cenas cortadas, eventos misturados e menor tempo para o desenvolvimento da estória, mas isso é algo que sempre vai acontecer quando se transforma um livro em um filme. 

A melhor escolha de todas foi o Geofrey Rush para fazer o Hans, com toda a certeza. Ele personifca com perfeição o físico e o emocional do personagem e é um dos poucos que me pareceu totalmente fiel ao original do livro.

A mãe da Liesel, para mim, pareceu no filme muito boazinha perto do original no livro. Não que ela seja má na história original, mas o livro consegue passar mais detalhes das suas atitudes ranzinas e rabugentas e, mesmo assim, você consegue enxergar o grande coração dela por entre tudo.

Um ponto que pra mim foi decepcionante foi a biblioteca da Ilsa. Pela descrição do livro, eu imaginava um cômodo muito maior, mais claro, com livros do chão até o teto e, no filme, é uma pequena sala com livros e fotos do filho falecido.

Muita coisa foi tirada do original, achei que algumas coisas que foram adaptadas não deveriam ter sido.

[FIM DO SPOILER]

Por isso, fica aqui a minha dúvida sobre o que é melhor: filme ou livro?

O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...