Pular para o conteúdo principal

Sem ele não dá

Oi, tudo bem?

O final de semana foi bem animado; daqueles que saem totalmente fora dos planos feitos e te pega de jeito. Era para ter sido bem sossegado: na sexta, a gente tinha organizado uma despedida de solteira para uma amiga do trabalho - só as melhores, como dissemos - e depois eu ia passar ver o garoto. No sábado, a gente tinha planejado um programinha bem light porque ele ia trabalhar o dia todo no solzão de novo. No domingo, a gente ia sair bem cedinho para ir na igreja dele, íamos almoçar em outra cidade e dar um rolê em um novo shopping.

Mas Deus tinha outros planos...

Sexta foi paulera no trabalho porque tivemos nossa primeira avalição de desempenho profissional. Nos meus resultados, veio quase tudo o esperado: que eu preciso ser mais comunicativa, mais cordial e menos centralizadora. Mas me surpreendeu a quantidade de MÁXIMO que eu consegui: 16. Claro que teve gente que disse que conseguiu mais que todo mundo quando a gente imagina qual seja a verdade - que nunca será descoberto porque a avaliação foi individual - mas já aprendemos como lidar com esse tipo de gente: ignora.

No final da tarde, eu tinha deixado o celular no silencioso e não vi 3 mensagens e 1 ligação perdida do garoto.

Só vi depois.

E liguei de volta.

Resumo: ele estava em uma cidade vizinha, na Santa Casa, sozinho, com o pulso fraturado, esperando a ambulância que ia trazê-lo para nossa cidade porque ele tinha sofrido outro acidente de trabalho caindo de uma escada de uma altura de cerca de 2,5m que resultou na fratura do pulso e no corte da testa do auxiliar dele que teve que voltar dirigindo para nossa cidade mesmo assim por ordem do patrão que queria que trouxesse o carro da empresa para cá.

....

É, eu também fico sem palavras com isso.

....

Infelizmente, nessas horas, quando a pessoa que você mais ama no mundo depois de Deus e da sua mãe te liga chorando dizendo que está sozinho e machucado num hospital no fim do mundo, você não consegue raciocinar muito bem. Minha primeira reação foi pegar o toddynho e ir pra lá mas... eu não sei dirigir na estrada! Nem sabia como chegar na tal cidade.

Um dos meus coordenadores estava por perto e viu meu desespero e se ofereceu para me levar lá. Eu nem pensei duas vezes. Não pensei que estava deixando o trabalho no horário do expediente, bem no dia da avaliação,  que não tinha ninguém para ficar no meu lugar, que eu ia atrapalhar o horário do cara, que eu não tinha falado com a minha mãe antes. Eu simplesmente fui.

Cheguei lá e encontrei ele chorando, sozinho, com dor e as costas sangrando. E tive que encarar uma viagem de SAMU de lá para cá.

Não recomendo.

Não recomendo mesmo.

O abençoado do motorista deve ter feito questão de passar em todos os buracos e obstáculos que tinha na pista; o cinto de segurança não segurava nem eu e muito menos ele; o negócio parecia a ante-sala do inferno de tão quente e abafado. Comecei a passar mal e pensei que nós dois íamos ser internados.

Chegando na nossa cidade, os pais dele estavam esperando no Pronto-Socorro. Daí em diante, a bola estava com eles.

Para não ficar tão longo, eu vou tentar resumir todos os sentimentos que passaram pela minha cabeça durante esses dias: eu quis largar tudo, largar ele, abandonar a Operação Casa e o Projeto Casamento. Fiquei brava com a minha mãe porque ela jogou umas verdades na minha cara e eu sabia que ela tinha razão, mas eu não queria ser tão dura nem comigo e nem com ele. Fiquei brava com a família dele que parece não cuidar direito dele - e acabei percebendo que isso era mais má impressão minha do que verdade. Fiquei brava com tudo e, principalmente, fiquei brava com ele porque ele não me ouve, ele pensa muito diferente de mim, ele faz tudo tão ao contrário do que eu gostaria que ele fizesse.

Mas, agora que já deixei ele na casa dele e o primeiro fim de semana passou, eu sei que vai ser difícil; que eu vou ter que ser a motorista, a ajudante, a pscicóloga. Que eu vou ter que ter muita paciência durante a recuperação dele, a fisioterapia e a volta ao trabalho. Que vamos ter que cortar gastos e mudar planos.

Só que eu estou disposta a encarar isso agora porque eu não sei viver a vida sem ter ele do lado, sem ter ele entupindo meu celular de mensagem, fazendo doce para mim, batendo de frente com meu jeito, me fazendo carinho e falando que não vive sem mim.

E você vão acompanhar essa história aqui porque eu sei que vai dar excelentes posts!

Comentários

Just me disse…
Espero q seu namorado fique bom logo!
Força para vcs dois!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br
Cassia Lima disse…
Nossa, quanto sentimento em um post!!!! ^^
Deus abençoe seus passos, que vc consiga ser feliz... =***
E melhoras para 'ele'! =D

Bjooooooooooo
http://rcassiaslima.blogspot.com.br/
Flavia disse…
adorei sua visitinha
apareça sempre
e melhoras pro seu namorado.
imagino sua aventura!
um abraço
Lulu on the Sky disse…
Melhoras ao seu namorado e vc força viu?
Big Beijos
Amanda Bistafa disse…
Nossa que barra ein :/
Melhoras pra vcs, se Deus quiser logo logo seu namorado fica bem!
Bjs!
http://marcasindeleveis.blogspot.com.br/
Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns, também agradeço por partilhar o seu saber, se desejar visitar o Peregrino E Servo, ficarei também radiante e se desejar seguir faça-o de maneira que possa encontrar o seu blog, porque irei seguir também o seu blog.
Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
Sou António Batalha.
Carlos Medeiros disse…
Se Deus quiser, logo estará tudo bem. Abraços.
Ruby disse…
Desejo que ele se recupere e vocês voltem ater a rotina boa de namorados, façam coisas legais e se divirtam. Vai dar tudo certo, creia.
Ruby disse…
a ter*
Luma Rosa disse…
Poxa vida!! Que susto, heim?
Acho que Deus nos coloca à prova para ver até que ponto estamos prontos para enfrentar os momentos ruins, pois são esses que fortalecem os laços afetivos.
Melhoras para o seu garoto e persevere!! :)
Beijus,

Postagens mais visitadas deste blog

Tag de tudo um pouco

Oi, tudo bem?
A Mila me indicou nessa tag e eu amo participar de blogagens coletivas e tags, então... vamos lá:
Regras Deve indicar 11 blogs com menos de 500 seguidores; Colocar o selo da Tag; Colocar os créditos ao blog Atrás da Penteadeira; Colocar o blog que te indicou.


Perguntinhas 1- Qual seu estilo musical preferido? Boa pergunta...geralmente, gosto do que está tocando no rádio..se for pop rock, melhor ainda.
2- Qual peça de roupa é sua queridinha no momento? Meus shortinhos de calor, fresquinhos e floridos para ficar em casa de bobeira.
3- Qual de seus esmaltes é o mais divo? Marca e cor. Babado Forte, da linha Color Trend da Avon
4- Shorts ou saia? Por quê? Sempre shorts, não muito curto. Saia só se for longa.
5- Cabelo liso ou cacheado? Sempre cacheado
6- Salto ou sapatilha? Depende da ocasião.
7- Brigadeiro ou sorvete? No verão, um bom picolé de limão. No inverno, o brigadeiro de panela é imbatível.
8- Doce ou salgado? Depende do humor do meu estômago.
9- Como você define seu estilo? Casual.
10- Você…

Resenha - Melhor do que comprar sapatos

Oi, tudo bem?
Segundo livro do ano.. em março #vergonha.
Arrisquei no título Melhor do que comprar sapatos, da Cristiane Cardoso, publicado pela Editora Unipro.
Não sei se você já ouviu falar dela: filha do bispo Edir Macedo (já torceu o nariz?), casada com o Renato Cardoso, é apresentadora do Escola do Amor na Rede Record (torceu o nariz de novo?).
O livro, segundo o site da Livraria Cultura, não é simplesmente uma coletânea de artigos sobre a essência da mulher. O objetivo de sua autora, Cristiane Cardoso, é ir além e promover a transformação real do leitor, de dentro para fora. Sabendo que mudanças não acontecem da noite para o dia com a simples leitura de um livro, Cristiane aborda temas de importância para toda mulher. E todos esses temas apontam para o fato de que é preciso enxergar a vida mudando a nossa perspectiva. A partir dessa atitude, a autora defende que é possível ser uma mulher melhor em todos os sentidos. Como lidar com seus problemas? Quando um relacionamento funciona? C…

Fim

Oi, tudo bem?
Em 13 de janeiro de 2005, comecei um humilde blog (ainda no dominio zip.net da UOL) que viria durar mais de dez anos e contar com quase cem mil visualizações. Não sei se são números expressivos para alguns, mas para mim, são demais!!!!
Fiz muitos amigos (virtuais e reais) e pessoas especiais entraram na minha vida por causa desse blog. Conselhos, piadas, dicas... compartilhamos muitas coisas desde 2005.
Nestes mais de dez anos, muita coisa aconteceu. Eu mudei muito, mais muito mesmo, daquela garota de 2005: altos e baixos. Perdi, ganhei. Vivi pequenas e grandes vitórias. Sofri pequenos e grandes tombos. Realizei sonhos – alguns que eu nem imaginava realizar. Cresci em todos os setores: pessoalmente, profissionalmente e fisicamente (mais pros lados do que pra cima hehehe). E compartilhei tudo que foi possível pelos blogs, pela escrita. 
Mas, de uns tempos pra cá, as redes sociais como um todo tem me chateado muito e, particularmente por alguns episódios que tive que presencia…