Mostrando postagens com marcador negativa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador negativa. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Manual contra a Depressão


Este é um humilde tratado de um leigo que se preocupa com o próximo.

Distorções cognitivas

Quando uma pessoa tem uma tendência para “negativar” todas as suas ações, “catastrofizando” tudo, ou seja, ela começa a ver “derrota”, “coisas ruins” em praticamente tudo o que ouve, vê ou “pressente” e/ou, quer encontrar culpados para todo e qualquer fato na sua vida, ela está passando por um transtorno psiquiátrico, denominado “distorção cognitiva“.

Essas afirmações negativas, esse estado emocional, onde a pessoa não consegue enxergar o lado bom da vida, onde tudo que é dela ou é ruim ou é “meia-boca” é que acaba levando a doença conhecida pelo nome de DEPRESSÃO.

Funciona assim: se ela tira uma boa nota em uma prova, acha que foi “sorte”, se tira uma nota ruim, é porque é burra mesmo. Não tem meio termo, não tem aquela possibilidade de dizer: é uma fase, vai passar ou, foi uma deslize. Tudo, tudo é negativo, tudo é “coisa ruim”…

No estudo que “Aaron Beck” fez em 1976 com diversos pacientes em estado DEPRESSIVO, ele percebeu que esse estado emocional de ver tudo negativo é o que leva o indivíduo a Depressão, e não o contrário. Todo mundo imagina que a pessoa em depressão vê tudo negativo por causa da doença, mas é lá atrás, em determinado momento da vida onde ela começou a “se colocar para baixo” é que a levou a doença.

CUIDADO!

Não fique aumentando o problema que você está passando, alias, você sabia que todo mundo, desde o mais miserável do pedinte na rua até ao ser mais rico da Terra passam por “atribulações”, tem problemas das mais diversas ordens? Ou seja, problema não é um privilégio da sua vida.

Não faça adivinhações do seu futuro, nem para o bem, muito menos para o mal. Lembrando Jesus :

“ Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal ” Matheus 6-34

Fundamental:

Comemore cada conquista, por menor que ela seja. O nascimento do broto de feijão que você plantou ontem à noite. O dente de leite do seu filho que caiu sem dor. A sua sogra que decidiu não vir mais esta semana na sua casa (brincadeirinha…). Valorize as suas conquistas pessoais. Coloque na moldura aquele diploma de Truco que você ganhou em terceiro lugar na rodada em que você já estava “bebim”. Tudo deve ser motivo para “orgulho”, orgulho do bem!

PERIGO:

Evite a FIXAÇÃO MENTAL, ou seja, até para ter problema é melhor ter mais de 1. Esse negócio de ficar em cima de um assunto, sem mudar o disco leva a paranóia e a camisa de força. Se aquela pessoa tão especial te abandonou é sinal de que ela não era tão especial assim. Se fosse, ficaria com você que é uma “Brastemp”!.

Não valorize o “oposto” daquilo que você é, acreditando que isso vai melhorar alguma coisa em você. Por exemplo, você gosta de falar e de repente quer ficar mudo engolindo sapos para todos os lados, só para “provar que aquele inverso do que você é, é o melhor". Isso maltrata até a sua alma.

Não vire “dodói”

O “dodói da mamãe” é aquela pessoa que cisma que tal pessoa foi rude com ela. As vezes a pessoa nem falou com ela, mas cria a cisma de que foi sim, foi com ela e foi rude…

Magoou! Não brinco mais!

É o típico comportamento da criança mimada…

RÓTULOS

Eita coisa perigosa em qualquer momento da vida! É o rotular as pessoas ou fatos. Pior ainda quando não estamos bem. Se não estamos de bem nem com a gente mesmo, imagine o que vamos achar dos outros? No primeiro olhar: Ela não presta, ele não vale nada. Ihh…essa é fofoqueira, aquele é ladrão…e assim vai.

Cuide da sua mente, não deixe ela viajar na “maionese passada”.

RECEITAS:

Cultive a alegria.

Tenha amigos. Não deixe de ter amigos (principalmente quando se apaixona por alguém: não suma da roda de amigos!).

Tenha uma ocupação prazerosa:não importa se você é bancário ou banqueiro, atendente de enfermagem ou cirurgião especializado, tenha um HOBBY, algo que te dê prazer, como cozinhar, bordar, mexer com a terra, colecionar alguma coisa, tirar remela dos olhos, sei lá, faça qualquer coisa que te dê alegria gratuita, aquela alegria boba, quase infantil.

Motive-se com pequenos prêmios. Você fez um trabalho para a escola que foi elogiado? Comemore-se! Compre um pequeno presente para você, pode ser um da loja de R$ 1,99. Não importa o que seja, pode ser uma bala Juquinha, “tudo vale a pena se a alma não é pequena”.

Creia em uma “força superior”: não importa o seu credo, se tem ou não uma religião. É importante crer, ter com quem conversar no íntimo, naqueles momentos em que só você sabe onde está sangrando por dentro. Não sei o nome que você dá para o “Ser Superior”, se é Deus, Jeová, Javé, Buda, Krishna , Energia Superior, ou Pai, importa sim, ter um momento para a Divindade que insiste em existir dentro de você.

Perdoe-se! Muito se fala em perdoar os outros, mas eu te peço antes de mais nada: perdoe-se! Pelas “cagadas” que todos nós estamos sujeitos a fazer. Pelos erros bobos e até pelos erros mais grotescos, perdoe-se. Você é a única pessoa que não pode viver sem você. parece óbvio, mas para muita gente isso não é assim. Vivem pelos cantos chorando pelo erro de 20, 30 anos atrás.

Sai fora! Dance, cante, leia, pule, ande na chuva, toque-se, acaricie-se, descubra-se. Tenha tesão pela vida e por você. Sem você, eu te juro, a vida não tem a menor graça, porque muita gente boa conta com o seu sorriso, com o seu empenho, com o seu carinho, com esse jeito de fazer as coisas do seu jeito, assim, especial de ser.

Por favor, seja feliz.

Simples assim!

Eu acredito em você!

Paulo Roberto Gaefke

Obs: recebi esse texto por email há um tempão atrás e só ontem fui dar uma lida. Levando em consideração o post anterior, acho q Deus tinha reservado esse texto pra mim, né?!

O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...