terça-feira, 16 de agosto de 2016

E a vida segue....

Oi, tudo bem?

Puxa, estou deixando mesmo a desejar esse espaço aqui. Mas, realmente tenho estado sem tempo para vir e escrever, contar o que anda acontecendo. E, para ser sincera, são tão poucas as visitas que me sinto falando pro nada... snif, snif, snif.

Depois do último post sobre a finalização da #operacaoCasamento com a entrega do álbum e do video, repassei as cópias para mammy e para sogra e, claro, mammy amou e a sogra tinha que colocar um defeito porque "a sobrinha não aparece na filmagem". Helloooo, quem casou fui eu! Não precisava mostra filho de ninguém na filmagem. Além do quê, quem tirou as fotos da garotinha foi uma amiga minha e não o pessoal da equipe contratada. Agora, dar dinheiro para revelar as fotos ninguém dá, né?!

Enfim, na última semana eu consegui fazer um feito histórico e deixar as coisas da casa de lado para realmente aproveitar a vida: levei mammy no bazar da ong que ajuda a resgatar os animaizinhos de rua - a mesma que resgatou minha linda Neguinha; fui com o garoto visitar a avó dele que estava doentinha - e a velhinha está com mais pique e lucidez que todos nós juntos, mesmo aos 89 anos de idade; fomos comer pastel com o cunhado e família, coisa que o garoto queria fazer há muuuuito tempo e depois passamos na casa dos sogros, que claro nem ligaram para gente mas ficaram babando na sobrinha. 

Foi até interessante no domingo ver uma matéria na Record sobre mulheres que querem operar para não ter filhos e não conseguem, apesar de estarem dentro da lei do Ministério da Saúde. Desculpem as mulheres que amam ser mães ou sonham com a maternidade, mas este não é meu sonho ok?! Não quero ter filhos, não quero ter noites em claro, não quero passar necessidade para ter que comprar o leite mais caro, pagar a melhor escola. Não quero pensar que, no futuro não muito distante onde sabemos que as coisas vão piorar, vou ter mais alguém para cuidar além dos meus pais e de mim. Agora, só porque não quero isso pra minha vida, alguns de vocês precisam me olhar como se eu tivesse nascido sem coração, fossem mal-amada ou doida varrida? Desculpe, mas achei que vivêssemos em uma democracia, onde cada um tem direito a fazer o que bem entende com sua vida, desde que não atinja o próximo.

Bem, continuando...

No domingão, encaramos a aventura de ir para Ribeirão Preto. Estrada velha, ruim, cheia de santa cruz (aquelas cruzinhas colocada na beira da estrada, onde teve gente que morreu em acidente...tem até uma dos modelos antigos, tipo casinha mesmo. Mammy conta que, quando era criança, o pessoal do sítio tinha o costume de lavar essas casinhas para evitar falta de chuva na roça... #superticao). Mas o passeio valeu a pena porque a cidade é legal - quente pra burro - e o shopping mais antigo da cidade é muito bom e cheio de lojas maravilhosas. Comprei meu primeiro item na Forever 21, uma bandana linda - e matei a saudade de um bom frapuccino de chocolate com muffin de blueberry na Starbucks.

Ontem foi feriadão aqui na minha cidade e baixou a Maria na pessoa: fiz aquela meeega faxina de lavar chão e azuleijos dos dois banheiros e da cozinha, fora passar aspirador, pano, tirar pó e lavar a área externa inteirinha da casa. Final das contas: choveu a tarde, com direito a vendaval...e ferrou quase tudo que eu tinha feito :(

Um comentário:

Danielle Marques disse...

oi nana! não te abandonei não tá? mas senti que vc andava meio desanimada nos ultimos posts, acho que o passeio te fez bem hein? e a sogra? ri horrores!! kkkkk sogra é tudo igual, por isso que rima com cobra! ahahaha compartilha as fotos do casorio com a gente nana! mil beijinhos