Mostrando postagens com marcador je sui charlie. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador je sui charlie. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Charlie Hebdo - Ser ou não ser?

Oi, tudo bem?

Hoje, o mundo amanheceu mais triste e chocado com a notícia do atentado ao jornal françês Charlie Hebdo. Extremistas islâmicos atacaram a redação do jornal e deixaram mortos e feridos pelo caminho.

O que se segui na mídia foi a retaliação aos muçulmanos e a defesa da liberdade de expressão a qualquer custo. 

Até então, eu nem conhecia o trabalho deles e também me juntei ao coro que dizia "Je Suis Charlie". Mas, tive a oportunidade de acompanhar a cobertura brilhante e imparcial da Folha On Line no caso e ter acesso à várias capas dos editoriais do Charlie Hebdo, nas quais eles faziam piadas de cunho sexual atingindo católicos, muçulmanos e qualquer fé que existisse no mundo.

Sou evangélica há mais de vinte anos, mas me senti ofendida com as charges insinuando relações sexuais gays entre padres, piadas com a Santíssima Trindade de cunho sexual e várias outras charges julgando Maomé.

Daí, parei para pensar e tive que concordar com Leonardo Boff - Eu não sou Charlie.

"Evidentemente não se responde ofensa com o assassinato. Mas também não se devem criar as condições psicológicas e políticas que levem a alguns radicais a lançarem mão de meios reprováveis sobre todos os aspectos."


Na minha humilde e - talvez - ignorante opinião, os dois lado praticaram a intolerância no seu limite máximo, dentro das armas que dispunham. "Na religião muçulmana, há um princípio que diz que o Profeta Maomé não pode ser retratado, de forma alguma. Esse é um preceito central da crença Islâmica, e desrespeitar isso desrespeita todos os muçulmanos. Fazendo um paralelo, é como se um pastor evangélico chutasse a imagem de Nossa Senhora para atacar os católicos…Qual é o objetivo disso? O próprio Charb falou: “É preciso que o Islã esteja tão banalizado quanto o catolicismo”. “É preciso” porque? Para que?"

Uma das defesas comuns ao estilo do Charlie Hebdo é dizer que eles também criticavam católicos, judeus e outras crenças e nenhuma religião revidou as charges.

Obviamente, isso não é motivo para assassinato porque ninguém em sã consciência apoia os atentados. Os três atiradores representam o que há de pior na humanidade: gente incapaz de dialogar. Mas é fato que o atentado poderia ter sido evitado. Bastava que a justiça tivesse punido a Charlie Hebdo no primeiro excesso.

Mas daí seria censura a interferência da justiça no caso, como alguns disseram. Só que muitas vezes é necessário a interferência racional, baseada em fatos e não em supostas listas do que pode-e-o-que-não-pode para evitar excessos. 

Gente, cansei de ver humoristas fazendo esquetes sobre cristãos de forma criativa e nada ofensiva, assim como com os muçulmanos. Não precisa apelar para a baixaria, né?!

E, se não bastasse todo esse horror, o atentado desencadeu uma série de retaliações de todos os lados, mostrando a intolerância religiosa de muitos. Igrejas foram destruídas, projetos sociais retaliados por serem ocidentais e a intolerância e ameças de ataques crescendo por todos os lados.

Agora, o quadro que vemos no mundo é de cada vez mais intolerância. Você não pode discordar do post do seu amigo no Face ou ele pode te banir da rede de amigos; você não pode ser minoria da opinião sobre isso ou aquilo ou as pessoas já vão te olhar torto. Eu mesma já entrei em alguns debates com posts polêmicos no Facebook e só me entristeceu ver pessoas que eu costumava admirar se mostrarem tão extremistas quanto os radicais islâmicos.

E, nessas e outras da vida, a bíblia se mostra verdadeira quando nos alerta:

"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." Mateus 24:12-13

** Por favor, dediquem um tempo para ler os links da postagem que são bastante esclarecedores sobre o tema.

O fim de uma era

Oi , tudo bem? Não, esse post não é sobre o fim do blog. Apesar de não atualizar mais com tanta frequência, continuo voltando aqui vez ...